sábado, 28 de fevereiro de 2009

Fundo

Fundo do poço. Trepo pelas rochas abespinhadas... Mas o destino insiste que escorregue e volte a escorregar... dEMASIADO ESCORREGADIO...

4 comentários:

Macaco dos Pneus disse...

Em 1985 dois amigos alpinistas, Yates e Simpson decidiram subir uma montanha. Quando lá chegaram uma tempestade abateu-se sobre eles e gastaram o combustível que usavam para derreter gelo e terem água. Tinham que descer rápido da montanha ou não sobreviveriam. Na descida, rápida, Simpson escorregou e aterrou em cima do joelho que não aguentou a pressão do peso do corpo resultando em que a tíbia atravessou o joelho destruindo-o completamente. Yates amarrou então o amigo com uma longa corda e descia-o montanha abaixo. Quando a corda acaba, Yates caminhava então até Simpson e repetiam o mesmo processo até descerem a grande montanha. Mas o destino encarregou-se de por estes homens perante uma prova ainda mais difícil para ambos. No meio da tempestade, Yates não viu quando descia Simpson em direcção a uma ravina. Simpson gritou e agitou os braços, mas na escuridão da noite e com o assobiar do vento Yates não fazia ideia do que acontecia. Simpson estava agora pendurado num penhasco sendo açoitado pelo vento gelado que soprava. Yates não fazia ideia o que se passava, só sentia o peso morto de Simpson que o empurrava lentamente montanha abaixo. Não sabendo se o amigo estava vivo ou morto, e depois de horas a suster todo o peso de Simpson, Yates tomou então a decisão mais difícil da sua vida. Cortar a corda. Ele não fazia ideia se o amigo estava vivo ou morto apenas sabia que se não cortasse a corda ele próprio estava condenado a perecer na montanha. Na manhã seguinte, descendo a montanha Yates viu o penhasco onde Simpson fora descido. Teve então a certeza de ter morto o amigo por não ter aguentado a corda, ou ter tentado acudir ao amigo, tinha sucumbido ao seu próprio instinto de sobrevivência. Desceu a montanha e regressou ao acampamento base, desiludido e triste onde descansou durante três dias.

Mas Simpson não morrera, a sua queda fora amortecida por uma ponte de gelo caindo numa gruta. Com a perna partida, o alpinista arrastou-se para fora da gruta. Esse foi o primeiro passo. Olhou em frente e viu um rochedo. Arrastou-se até lá durante horas. Este foi o segundo passo. O sol batia agora e reflectia-se na neve. Simpson tinha sede, procurou então na neve alguma poça de neve derretida para beber água. Este foi o terceiro passo. Sem comida e arrastando-se, bebendo água e sempre procurando um objectivo mais á frente, Simpson avançou lentamente montanha abaixo, pelo meio de glaciares, pedras e chão rochoso. Três dias depois, avistou finalmente as tendas do acampamento base, com todas as suas forças visionava o ultimo passo ali mesmo. Tentou gritar, mas não conseguia. Alucinando, fraco, com uma perna partida Simpson chegou finalmente perto das tendas, algumas horas antes de Yates decidir arrumar tudo e voltar para a civilização.

As paredes de um poço podem ser escorregadias, mas tens de continuar a tentar, por mais escorregadias que sejam tu vais conseguir sair do poço! Concentra-te, não queiras sair logo do poço, procura aquela pedra saliente que está a alguns metros acima de ti. Esse é o teu primeiro objectivo. Quando ai chegares olha um pouco mais para cima e verás outro objectivo. Tens de te concentrar nas pequenas coisas que podes resolver e assim ganhar forças para aguentar aquilo que te ultrapassa. E não te esqueças que tens cá em cima muitos amigos, incluindo eu, que estão a chamar por ti, a dar-te força e que só querem o teu bem! Que só te querem atirar cordas para te ajudar! Estamos aqui todos ao teu lado!

Um beijo e um abraço gigante do amigo Vaskini :)

Marisa disse...

Está escuro... Pedras salientes? Não vislumbro... A verdade é que nem me apetece tentar procurá-las...

celso disse...

Os instantes mais dolorosos de nossa vida são aqueles que nos revelam a nós mesmos. É impossível avaliar a força que possuímos sem medir o tamanho do obstáculo que ela pode vencer, nem o valor de uma ação sem sabermos o sacrifício que ela comporta.

Macaco dos Pneus disse...

Está escuro? Nós aqui em cima atiramos-te uma tocha. A tocha apagou-se com a água? Não faz mal atiramos-te uma lanterna. A lanterna partiu-se? Então atiramos-te uma lanterna á prova de choque. Estragou-se com a água? Então atirmos-te uma lanterna anti-choque e á prova de água! Agora que já tens alguma luz atiramos-te cordas para te ajudar. As paredes podem parecer muito escorregadias e se não te sentes com forças de sair do poço, não faz mal. Nós descemos as cordas e vamos para o pé de ti e só sairemos do teu lado quando tiveres força e vontade para sair do poço. Nesse dia todos nós, os teus amigos, vamos te ajudar a sair do poço. E quando o calor do sol voltar a acariciar o teu rosto, espero que voltes a sorrir e a iluminar os que te rodeiam com a tua alegria e força de viver que com tanta facilidade sempre transmitiste a quem se cruzou no teu caminho.