quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Palco

Não sei se me sinto, me pressinto, ou qualquer coisa que me valha, neste con(c)serto desconcertado que é, ou parece ser, o palco da minha existência. Não sei quem são os actores principais, nem muito menos os secundários. Um dos figurantes sou eu. Vejo passar aquilo que ouço dizer que é a minha vida [da boca de gentes também ela desconhecida], porque eu não a conheço. Talvez um dia
me apresente. Quem sabe?

5 comentários:

Carlos disse...

No palco da tua vida és a personagem principal e a estrela. E acredita. Tudo vai ser melhor.
Beijos :)

Macaco dos Pneus disse...

Tens perante ti uma orquestra de gente empunhando clarinetes, flautas, violinos, violoncelos, harpas, guitarras, baixos, contrabaixos... preparados para te dar música, para que te voltes a apaixonar por cada nota e voltes a tocar em sintonia connosco! Porque queremos que o concerto te pareça menos desconcertado e que não te permitas ser uma figurante....

Beijos :)

Marisa disse...

Bigada pelos coments pessoal :)
Adoro-vos :)

Carla Mestre disse...

Ah pois é... ca estou eu a espreitar por trás da cortina! Atenta aos teus passos young lady! Nada de desatinos, sei que o teu caminho nao é facil, sei que ainda tudo dói e que se um dia o sol brilha, no outro está a chover. Pouco te posso ajudar a não ser dar-te a certeza que por tras do biombo estou atenta ao teu choro miudinho... As lágrimas vêm, caem e sufocam mas o importante é que depois delas valha a pena sorrir. CORAGEM minha linda é a arma do mais nobre guerreiro! Beijo

Marisa disse...

Bigada pelo apoio menina :) um abraço :)