quinta-feira, 2 de abril de 2009

Shiiiiiiuuuuuuuuuuuuu

- Boa noite!
- Boa noite, responde-me numa voz quase inaldível.

Em ténues passos largos, o homem vai à frente. A mulher, essa, segue-lhe o rasto. Os gestos são comprometidos e a movimentação é surda.
Que comportamento estranho, penso.

Fecho a porta do carro de forma barulhenta. O homem pára. A mulher não reage.
Olham-me com ar de reprovação.
Não percebo. Permaneço calada, à espera de qualquer coisa. Mas não me explicam.
Marido e mulher retomam a marcha. Os gestos são os mesmos, comprometidos. A movimentação continua surda.
Dois metros mais à frente, o homem pára.
Um gato, de pêlo dourado e olhar faraónico distingue-se na noite tépida. Parece perdido.
Agora, de braços bem abertos, o homem olha para trás. O olhar é de hesitação...
- Estou aqui. Não o disse, mas foi como se dissesse. Foi isso que entendi, no olhar daquela mulher para aquele homem, de braços abertos. E foi isso que ele percebeu.
Confiante, abriu ainda mais os braços e... num segundo AGARROU aquela bola de pêlo dourado.
AGARROU-O com tanta força que tive inveja... O gato, esse, nem reage. Não mia, não arranha. Deixa-se afundar nos braços do homem. Já não está perdido, penso.

O barulho regressa. O sorriso é o de missão cumprida. Fiquei para trás.
Homem e mulher voltam para casa.
Pah! Escuto a porta a fechar.
- Também quero ser AGARRADA assim... [murmuro baixinho...]

(mas ninguém me ouve...)

5 comentários:

Macaco dos Pneus disse...

Sempre me disseste que deveria escrever um livro.

Mas sempre que escreves fico com a sensação que deverias ser tu a escrever um livro.

Um livro sobre tudo o que aconteceu, com todos os detalhes, com todas as situações, nem que tenha mil páginas.

E no fim, daqui a muitas décadas, e depois de muitas páginas escritas. Escreves o final da tua história. Um fim que tenho a certeza que será feliz!

Anónimo disse...

Não ouvi...
Talvez porque tu não me deixes que te ouça...

Marisa disse...

Talvez porque tu não estás perto...
Talvez porque não te conheço...
Ou pensava conhecer...
Para alguém que me quer ouvir... esse anominato não o permite...
Estranhamente, quase que sinto um bocadinho de apoio da tua parte. Talvez porque gostaria que fosses alguém...
Mas não deixas rasto...

Marisa disse...

Uma história com um final feliz?...
Desculpa mas deixei de acreditar nisso... Não será a minha de certeza.
PS: Continuo a dizer que devias escrever um livro :P

Anónimo disse...

Eu tento estar sempre por perto...
Penso que me conheces o suficiente...
Espero que seja quem tu esperas...
Mas sou apenas eu...
Depois destas palavras tenho a certeza que sabes bem quem sou...